Tag Archives: dor

Bookaholic Girl

9 Ago

 

O primeiro livro da vida dela foi lido na escola, na verdade, ouvido, no jardim de infância. Sua professora, com uma voz doce e suave, parecia cantarolar a estória, com uma calmaria e uma paz, que inundava a pequena sala de aula, sentada em uma cadeira com as crianças a sua volta, ela contou a estória de uma menina, que perdera o Pai, a liberdade e seu precioso Sapatinho de Cristal. Ela se irritou com as irmãs e a madrasta malvada, ficou nervosa ao achar que ela não conseguiria sair do baile antes da meia noite e chorou, quando finalmente o príncipe a encontrou e eles viverem felizes para sempre.

Á partir daí, ela queria mais, leu todos os Contos de Fadas da Disney e até hoje o seu preferido é A Bela e a Fera, pois aprendeu a importante lição, de que beleza não é tudo. Depois ela partiu para livros mais adultos e complicados. Leu a estória de um casal que se amava muito, mas que não podiam ficar juntos por causa da família, que tiverem um final não muito feliz, e que morreram por amor. Se identificou com uma tal de Megera Domada. Ambos escritos por um homem, que ela nem sabia pronunciar o nome, mas apaixonou-se por ele mesmo assim, após mostrar para toda a turma sua vida, um trabalho que fora minuciosamente revisto e indiscutivelmente amado pelo seu professor de Francês.

Apaixonou-se por um Bruxinho com uma Cicatriz na testa e desejou fervorosamente que ele fosse seu irmão, ela queria colocá-lo no colo e dizer para ele que no final tudo ficaria bem.

Ela chorou demais, quando descobriu quem era O Pior Cão do Mundo. Ah Marley, Obrigado por me fazer redescobrir, porque sou tão apaixonada por cachorros e quando chover, e os trovões assustarem você, eu estarei lá do seu lado, para te salvar da chuva.

Após reler, o mesmo livro 14 vezes para fazer um trabalho escolar, ela pulou de felicidade quando, na sétima série ganhou o tal livro, do seu bendito Professor de Francês. Fez o melhor trabalho da vida dela e descobriu “Que era responsável por tudo aquilo que ela cativava”. E então ela não parou mais de ler.

Enfiou-se em uma série de Vampiros, mas é apaixonada mesmo pelo Lobinho. Desejou estudar no Upper East Side. E aprendeu valiosas Lições de Princesa. Teve muitos Sonhos, em muitas Noites de Verão. Aprendeu com Zoe que a vida de uma Dj não é fácil e ela até tentou Se Livrar de Um Vampiro Apaixonado, mas acabou não desejando mais que ele fosse embora. Descobriu o quanto um Elefante é Fiel e que certos contos de fadas, podem virar estórias de Terror, e que O Lobo mal, pode ser alguém que você jamais desconfiaria. Encontrou Deus na Cabana e hoje vive fazendo piadinhas com uma tal filosofia: “Ser ou Não Ser, Eis a Questão.”

Através dos Livros, ela conheceu lugares como, Paris, Manhattan, Seattle, Veneza, Londres, O Sul dos Estados Unidos (Gatlin), Forks (Washington) entre outros.

Ela aprendeu uma Herança Preciosa, com A Dádiva mais Preciosa e agora quer repassar esse aprendizado adiante. Ela se perdeu, correndo atrás de Hugo Cabret, no grande relógio da Estação e concordou quando alguém disse que O Pai dela só falava M*rda!

A história dessa menina com os livros é grande, mais ainda não acabou. A cada dia, ela descobre um livro novo, mais um para a coleção dos: “Vou ler” – ela está Radiante por uma rede social, ajudá-la organizar tudo, senão ficaria perdida.

Enquanto ela ouve Dezesseis Luas, uma de suas canções preferidas e ama seus livros desesperadamente como Heathcliff amou Cathy, está tentando resolver o último assassinato no museu, ela achou o corpo com a ajuda de Dan junto á uma preciosa peça de Da Vinci.

Ela se envolve em cada história como se estivesse nela e de uma forma ou outra, acaba se auto transportando para dentro do livro. Mas depois de ajudar uma menina A Roubar um livro, ela sentiu-se culpada e voltou para casa. Mas ela jamais deixou de acreditar no potencial de cada personagem.

Os livros a ensinaram, a nunca desistir de seus sonhos e que se dane se todo mundo pensa que você é uma louca viciada em livros, eles jamais entenderam o poder de nunca sentir-se só.

Com um novo livro na mão, ela caminha rumo a mais uma nova experiência. Dessa vez o livro ainda não é conhecido, quer dizer, o livro é conhecido somente por ela. Ela imagina uma estória, onde ela amará os personagens como filhos e sentirá cada dor, cada alegria cada amor, em suas vísceras. Ao final do livro, ela o assinará com seu Próprio Nome e suspirará, com o prazer do alívio, do dever cumprido. Ela se contentará em criar outras estórias, com outros filhos, com outros amores, com outros sentimentos. Um dia ela escreverá sobre uma menina que amou muito seus livros, a ponto de fazer loucuras por eles e ela pensará: “Por eles, eu faria isso mil vezes.”

Ela é uma viciada em livros, frágil e sensível, que se apaixonou por um livro, sem ao menos lê-lo, por causa de uma única frase:

“E porque acreditava em Anjos, eles existiam”

E quando á Hora da Estrela chegar, ela dormirá em paz ao saber que todas as suas respostas foram respondidas. E que seus medos, frustrações, alegrias e vitórias, serão compartilhadas em um único livro.

Com amor,

Bookaholic Girl

Cartas para Ele: Amor e Saudade!

18 Maio

Oi Galera! =) Essa tag andou um pouco sumida por aqui não é? 😀 Mas não pensem mal de mim, este texto estava perdido entre minhas pequenas bagunças do word e eu o escrevi a um tempo, na minha época de sofrimento! Uffa ainda bem que passei desta fase!! Mas então resolvi postá-lo apesar dele ser ruim! 😀 (na esperança de que gostem)

Amor (ô) – (latim amor, -oris)

1. Sentimento que induz a aproximar, a proteger ou a conservar a pessoa pela qual se sente afeição ou atração!; grande afeição ou afinidade forte por outra pessoa (ex.: amor filial, amor materno). = AFETO! ≠ ÓDIO, REPULSA 2. Sentimento intenso de atração! Entre duas pessoas. = PAIXÃO.   3. Ligação afetiva! Com outrem, incluindo geralmente também uma ligação de cariz sexual (ex.: ela tem um novo amor; anda de amores com o colega). (Também usado no plural.) = CASO, NAMORO, RELACIONAMENTO, ROMANCE. 4. Ser que é amado. 5. Disposição dos afetos! Para querer ou fazer o bem a algo ou alguém (ex.: amor à humanidade, amor aos animais). ≠ DESPREZO, INDIFERENÇA. 6. Entusiasmo ou grande interesse por algo (ex.: amor à natureza). = PAIXÃO ≠ AVERSÃO, DESINTERESSE, FOBIA, HORROR, ÓDIO, REPULSA 7. Coisa que é objeto! Desse entusiasmo ou interesse (ex.: os livros eletrônicos! são o meu amor mais recente). = PAIXÃO.  8. Qualidade do que é suave ou delicado (ex.: faz isso com mais amor). = BRANDURA, DELICADEZA, SUAVIDADE. 9. Pessoa considerada simpática, agradável ou a quem se quer agradar (ex.: ela é um amor; vem cá, amor). = QUERIDO. 10. Coisa cuja aparência é considerada positiva ou agradável (ex.: o quarto dos miúdos está um amor). 11. Ligação intensa de caráter! Filosófico, religioso ou transcendente (ex.: amor de Deus). ≠ DESRESPEITO. 12. Grande dedicação ou cuidado (ex.: amor ao trabalho). = ZELO ≠ DESCUIDO, NEGLIGÊNCIA

Amor tu que sempre foi tão perverso comigo, me apronta mais uma!

Eu que pensei que havia me livrado de ti, me libertado… Me enganei.

Meu coração bate desenfreadamente toda vez que você cruza o meu caminho, meu coração cansou, cansou de viver sozinho, me deixe em paz e não me siga mais, talvez assim não doa tanto cada sorriso que eu der, cada lágrima derramada!

Amor, você que sempre foi tão cruel comigo, ontem dilacerou meu coração com uma onda de saudade maliciosa e perversa, se soubesse o quanto dói à saudade! Não me faria sofrer por ela.

Mas eu que não tenho um pingo de vergonha na cara, sempre te aceito de novo, toda vez que você resolve voltar, pedindo desculpas e dizendo que não irá acontecer de novo! Nunca mais!

Mas sempre torna a acontecer, sempre… Sempre… E sempre…

Sucessivamente… Sem se cansar.

Saudade me deixe em paz pelo menos por um segundo, eu estou tentando viver, estou tentando ser normal, se for para me matar, acabe logo com isso, ou pelo menos me deixe sentir a brisa da manhã, sem dor, sem peso, sem remorso…

Sem esperança…

Para de querer magoar o meu coração atormentado pela dor de te sentir, pare de achar que eu preciso de você! Será que eu realmente preciso sentir toda esta dor? Porque você é tão maligna e traiçoeira… Envergonha-me na frente dos meus amigos, me humilha na frente do Meu Amor!

Ontem eu chorei… Chorei de saudade, por tudo o que aconteceu… Hoje ainda estou chorando, chorando porque descobri que não és mais meu!

Amor eu preciso sentir que ainda me quer e que não tem pena de mim, só você não sente pena de mim, você sente amor, você sente saudade, seu orgulho idiota te corrói pela metade…

Enquanto a mim, que já estou enfraquecida pela dor da distância choro esperando que o amor retorne e traga de volta a esperança!

Saudade (a-u ou au) – (latim solitas, -atis, solidão)

1. Lembrança grata de pessoa ausente ou de alguma coisa de que alguém se vê privado.

2. Pesar, mágoa que essa privação causa.

%d bloggers like this: