Tag Archives: Katheryn Winnick

Sessão Pipoca: Par Perfeito!

14 Set

Filme: Par Perfeito (Killers) 

Elenco: Ashton Kutcher, Katherine Heigl, Tom Selleck, Catherine O’Hara, Martin Mull, Katheryn Winnick, Casey Wilson, LeToya Luckett.

 Direção: Robert Luketic

Gênero: Ação

Duração: 90 min.

Distribuidora: Imagem Filmes

Sinopse: Jen (Katherine Heigl), conhece o homem perfeito. Seu nome é Spencer (Ashton Kutcher), ele é bonitão, educado e inteligente. Mas o que Jen não sabe, é que Spencer ganha a vida como matador de aluguel, contratado pelo governo. Eles vivem o casamento dos sonhos até que em uma bela manhã, o casal descobre que Spencer é o alvo de um golpe milionário. O que parecia ser um Par Perfeito transforma -se num jogo de vida ou morte, enquanto eles tentam lidar com sogros, sogras, casamento, manter as aparências e ainda sobreviver.

O que torna um casal perfeito? E será que realmente existe o conceito de perfeito um para o outro? Fugindo do título original, a tradução já deixa a desejar porque além de não combinar com o codinome Killers – nome original – (Assassinos), o filme não segue a linha de um casal perfeito.

Apesar de Ashton Kutcher e Khaterine Heigl, serem ótimos atores eu tive a estranha sensação de que ela era velha demais para ele. Não senti aquela ligação de personagens que se completam sabe, como em A filha do chefe, eu amo aquele filme e mesmo o personagem dele sendo inseguro e atrapalhado, acho que dá pra sentir que o casal tem uma sintonia.

O filme conta a estória de Spencer, um matador profissional que sonha em ter uma vida normal, construir família e conhecer pelo menos um de seus vizinhos e Jen, que após terminar com seu namorado porque ele era um canalha vai passar as férias com os pais em Nice, França.

Spencer e Jen conhecem-se ocasionalmente no hotel em que estão hospedados. De uma forma repentina os dois se apaixonam desesperadamente e então partem para o primeiro encontro. Após um jantar confuso e muita bebida Spencer leva Jen para o quarto dela. E de uma hora para outra decide contar sua verdadeira profissão. Só que adivinhem ela dormiu e não escutou nadinha.

Acho que o início do filme é forçado e serviu mais para mostrar a cidade do que o casal, em um filme que acontece tudo rápido demais você fica confusa se ele realmente é bom.

Após três anos de casados, Spencer descobre que sua cabeça estava a prêmio e eu acredito que aí sim começa o filme de verdade. Com muita ação, o filme segue monotonamente. Contraditório isso não? rs Acredito que um roteiro que tinha tudo para dar certo, perdeu-se na tentativa falida de transformar o filme em uma comédia romântica. Mas que falha terrível essa das grandes produções querer transformar qualquer filme em romance, existem produções que ficariam bem melhores somente com muita pancadiria e tiro, ou até um pouco de terror ou drama, me corrijam se eu estiver errada, mas um filme não precisa ser extremamente romântico para ser bom.

Um filme cujo um espião conta sua verdadeira identidade para uma mulher (ou qualquer outra pessoa) que acabou de conhecer, não me parece que o objetivo foi alcançado. Na verdade o que eu quero dizer é que Spencer não pareceu que havia treinado para ser um espião. Tudo bem, nós entendemos que ele podia estar desesperado para criar uma família, mas até os espiões mais mariquinhas sofrem um pouquinho antes de revelar tudo.

E você deve estar pensando. Que garota ridícula, revelando todo o filme! Acalmam-se, o verdadeiro ápice do filme só acontece pra lá de seus 50 minutos rodados 😀 rs Então fiquem tranquilos, esta resenha do filme não contém Spoilers. Ou quase não muitos! rs #Brincadeirinha.

Acho que o filme poderia ser um pouquinho mais longo e deveria ter explorado melhor a relação de Jen e Spencer. Acredito eu que ficaria bem melhor se tirassem aquele prelúdio terrível e mostrassem a forma como eles se conheceram em flashback’s, acho que seria bem mais digno. O filme não completamente ruim, é uma boa distração para um dia chuvoso como esse, acho que ele foi feito para pessoas que gostam de filmes que misturam ação e amor e não para críticos do cinema. Então, peguem a pipoca e o travesseiro, ou brigadeiro, chame a família e divirta-se, ou pelo menos distraia-se ;D

Obs: Eu li uma resenha deste filme, onde o “crítico” o definia como ridículo. Desculpe, mas não considero um crítico quem define um filme assim. Seja sincero, me dê os pontos críticos do filme, os pontos a se pensar, os melhores momentos, nem que seja somente a trilha sonora. Mas por favor, não defina nada como “Ridículo, Riidículoo!” porque se não, para mim quem acabará tornando-se ridículo será você. Sorry, mas se você se auto-denomina crítico, vá  assistir mais filmes e aperfeiçoar o seu modo de ver as coisas. Quando você escreve em um blog/site, você escreve para outras pessoas mais ou menos inteligentes do que você, mas de forma alguma subestime o seu leitor. Você está escrevendo para ele e não para você.

Beijos, Caah ❤

Sessão Pipoca: Amor e outras Drogas

17 Ago

Elenco: Jake Gyllenhaal, Anne Hathaway, Hank Azaria, Judy Greer, Gabriel Macht ,Katheryn Winnick, Oliver Platt, Jaimie Alexander, George Segal, Brenna Roth.

Direção: Edward Zwick

Gênero: Drama

Duração: 113 min.

Distribuidora: Fox Film

Sinopse: Jamie (Jake Gyllenhaal) é um vendedor que trabalha no cruel universo farmacêutico e usa seu charme tanto no trabalho quanto com as mulheres para se dar bem. Enquanto tenta bater o recorde de maior número de vendas, ele cruza seu caminho com Maggie (Anne Hathaway), uma mulher de espírito livre que não quer se prender a ninguém, e ele tem uma surpresa. A evolução no relacionamento deles faz com se encontram sob influência de uma droga: o amor.

Um misto de amor, drama e comédia surgiram no filme. Jamie galanteador que só, “pegou” sem compromisso a metade do elenco, rs Coisa que para ele é fácil, com aqueles lindos olhos azuis, muito experiência com as mulheres e saber exatamente a hora de dizer as coisas certas. Após um pequeno problema em seu antigo emprego, o de vendedor de eletrodomésticos, Jamie vai trabalhar como revendedor de remédios, a missão dele é convencer os melhores médicos do País usar o produto que ele vende, o que não é uma tarefa fácil. Durante essa longa caminhada, de tentativas e mais tentavis, Jamie conhece Maggie uma jovem diagnosticada como portadora do Mal de Parkinson, mas que adora fazer um sexo casual.

  Um romance sem compromissos e sem exigências, flui entre os dois. Seus encontros tornando-se cada vez mais constantes e sem perceber acaba nascendo uma paixão avassaladora. Jamie por não conseguir suprir a cota de seu remédio inicial, em um jogada de mestre o modifica para o Viagra e Boooom! Surge um ídolo e mais um rico da geração. Com sua lábia de bom galanteador, ele convence a todos os homens do País aceitarem os benefícios do Viagra. Entre a fama, o amor e as doenças, Jamie descobre que Maggie é tudo aquilo o que ele tinha medo de querer, mas que sem ela já não dá mais para viver. Maggie por outro lado, com medo do futuro e do rumo que as coisas estão tomando, tenta tornar tudo mais fácil para os dois, ela está convencida de que será um estorvo para Jamie e não acha justo pedir que ele pare sua vida por ela.  Com medo, Maggie tenta evitar o inevitável.

A química entre Jake e Anne, é inegável, como já podemos conferir em ‘O Segredo de Brokeback Mountain’, de 2005 com o Heath Leager.

É importante nos apergamos aos detalhes do filme e prestar muita atenção, porque tem coisas que podem ficar soltas pelo ar. A história se passa em 1996, com uma trilha sonora impecável, composta por “Two Princes”, dos Spin Doctors; depois “Cannoball”, dos Breeders; mais na frente, “Praise you”, do Fatboy Slim; e “Jack-Ass”, do Beck.  Eu acredito que eles souberam explorar muito bem a época, com detalhes e figurinos apropiados, mas a estória que tinha tudo para ser original e fantástica perdeu-se um pouco o brilho quando tentaram transformá-la em uma comédia romântica. Com uma pitada de humor, acho que faltou um pouco mais de Cenas Chaves,  para que a estória ficasse bem explicada. Teve momentos que me distraí e depois me perguntei, ‘O que aconteceu?’

Jake e Anne foram muito corajosos e entregaram-se fielmente ao papel, ficando completamente Nus em diversos momentos. Ambos foram indicados ao Globo de Ouro nas categorias de melhor ator e atriz.

Um filme emocionante, com uma mensagem bem impactante, só faltou ser mais explorado em determinados momentos. Uma das minhas cenas favoritas é quando Maggie, vai á uma convenção com Jamie, mas ao atravessar a rua e entrar em uma palestra de portadores do Mal de Parkinson, descobre que ainda pode e dá tempo de ser feliz.

Me decepcionei com o final água com açúcar, esperei muito mais, mas é um filme que vale á pena assistir, simplesmente pela perfeita escolha dos protagonistas.

Quotes:

“Você encontra milhares de pessoas e nenhuma delas te tocam, e então encontra uma pessoa, e sua vida muda. Pra sempre.”

“Eu me preocupava bastante com o que queria ser quando crescesse, quanto ganharia ou se me tornaria alguém importante. Às vezes, as coisas que você mais quer, não acontecem. E às vezes, as coisas que jamais esperaria, acontecem.”

O filme foi Baseado no livro ‘Hard Sell: The Evolution of a Viagra Salesman’, de Jamie Reidy.

Espero que gostem da Dica! ;D

Beijos, ♥

%d bloggers like this: